Translate

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Viagem e visita ao concelho de Sousel

Brasão de Sousel

Localização :

         Integrado no distrito de Portalegre, o concelho de Sousel abrange uma área de 278.9 km2, distribuída por 4 freguesias, faz fronteira com os concelhos de Avis e Fronteira, a Norte; com Estremoz, a Este; e com Arraiolos, a Sul. O concelho é essencialmente constituído por terras planas ou por relevo pouco acentuado e é cortado pela Serra de S. Miguel com 391 metros de altitude.
Como recursos hídricos, destacam-se a ribeira das Mulheres, a ribeira de Alcôrrego e a ribeira de Sousel.


História

        Segundo a tradição popular, a fundação de Sousel deve-se a D. Nuno Álvares Pereira, sendo que segundo o padre António Carvalho da Costa, a "Quatro léguas ao Noroeste de Villa Viçosa, e duas ao Norte de Estremoz, ao pé de huma Serra, estã plãtada a Villa de Sousel, que fundou o Condestável D. Nuno Álvares Pereira, o qual estando em campanha contra os Castelhanos, que havião entrado neste reyno com poderoso exército, se lhe oppoz com grande valor, e antes de entrar na batalha pedio a Deos o ajudasse naquela empreza, e começou a orar; e vendo os nossos que os inimigos vinhão acometendo, chamárão pelo Conde, que estava todo entregue à oração, e arrebatado em extasi, o qual despertando disse para os seus: «Ora Sus a Ell», frase cõmua entre elles naquele tempo. Deo-se a batalha, conseguio-se a vitória, e em memória della edificou o Condestável a Igreja, que hoje existe nesta Villa, dedicada a Nossa Senhora da Orada, e a povoação se chamou Suzael, corrupto hoje em Sousel, a qual tem quinhentos vizinhos (...)". Apesar da lenda acerca da origem do nome não ter fundamento, pois o topónimo é mais antigo, D. Nuno Álvares Pereira passou de facto por Sousel, tendo acampado o seu exército no local chamado atualmente de Vencerei. Quanto à verdadeira origem do topónimo "Sousel", parece tratar-se de um diminutivo de Sousa, de alguma família ou nome antigo.
A primeira referência histórica relativa a Sousel surge no foral medieval de Estremoz em que são referidos os "reguengos de Souzel", sendo que entre 1258 e 1259, D. Afonso III faz três doações no reguengo de Sousel: a primeira a "Pedro Anes, seu reposteiro, pelo muito serviço que este lhe fez, três cavalarias de herdade, em seu Reguengo de Sousel, no termo de Estremoz, com as suas fontes, águas e pastagens, entradas e saídas, para ele e os seus sucessores, podendo vende-la, dá-la e fazer dela o que lhe agrade"; a segunda a "Pedro Fernandes, copeiro de El-Rei, pelo serviço que lhe fizera, três cavalarias de herdade, em seu Reguengo de Sousel, no termo de Estremoz, com casas e cortinhal que estão na dita herdade, fontes, águas, pastagens e entradas e saídas, para ele e seus sucessores"; e a terceira a "João Anes, porteiro-mor da Rainha, pelo serviço que fizera ao monarca e à Rainha, duas cavalarias de herdade em seu Reguengo de Sousel, no termo de Estremoz, com montes, fontes, pastagens, entradas e saídas, para ele e os seus sucessores".
Em 1408, D. João I faz a doação da vila de Sousel, com outras posses, a D. Nuno Álvares Pereira, em troca de outras terras. Por Carta de 4 de Abril de 1442, o Condestável faz a doação da vila de Sousel à Casa de Bragança. Em 1527, segundo o Cadastro da População do Reino, Sousel tinha 457 moradores e pertencia ao Duque de Bragança, como comenda e uma das alcaidarias da primitiva Casa de Bragança. A vila recebeu foral manuelino em 1515, no entanto, chegou até aos nossos dias apenas uma cópia desse foral, existindo somente no Arquivo Histórico da Casa de Bragança. No inicio do século XVIII, Sousel era concelho que além da freguesia da sede, tinha a de S. João Baptista, com as ermidas anexas de S. Pedro, S. Miguel e S. Bartolomeu da Serra. Era governado no cível por um juiz de fora, três vereadores, um escrivão de Câmara, um procurador do concelho, um juiz dos órfãos  com seu escrivão e dois tabeliães do judicial e notas. Em 1842, o concelho de Sousel compreendia 4 freguesias: S. João da Ribeira, Sousel, Cano e Casa Branca. Extinto por decreto de 24 de Outubro de 1855, passou a pertencer à comarca e concelho de Fronteira, sendo restaurado por Lei de 10 de Julho de 1863. Voltou a ser extinto com a reforma administrativa de 26 de Setembro de 1895 e as suas freguesias passaram a integrar o concelho de Estremoz. Foi novamente restaurado a 13 de Janeiro de 1898, englobando as freguesias de Cano, Casa Branca, Ribeira e Sousel.
De notar que antes da sua incorporação no concelho de Sousel, Cano havia sido concelho, extinto em 26 de Dezembro de 1826; a freguesia de Castelo Branco pertenceu ao concelho de Cano e antes da sua transição definitiva para o de Sousel, esteve anexado ao concelho de Avis. A freguesia de Santo Amaro pertenceu ao concelho de Fronteira e só foi anexada ao de Sousel por Decreto de 21 de Dezembro de 1932.

Bandeira de Sousel

Heráldica

Brasão: escudo de azul, com duas setas de ouro, cruzadas em aspa atadas de vermelho e acompanhadas de quatro abelhas de ouro. Contra-chefe ondado de prata e azul. Coroa mural de torres de prata. Listel branco com letras pretas.

Bandeira: amarela, cordões, borlas, haste e lança de ouro.


Cultura e Turismo

     São vários os locais de interesse turístico no concelho de Sousel, destacando-se em particular o seu património cultural e edificado. Assim, uma especial referência para: a Torre do Álamo, também conhecida como Torre de Camões, onde, segundo a tradição, esteve alojado Luís de Camões; a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Graça, do século XVI; a Igreja da Misericórdia, datada do século XVII; a Igreja de Nossa Senhora da Orada, construída no século XV e modificada posteriormente e a Igreja do Convento de Santo António, datada de 1605.
No que diz respeito a infra-estruturas culturais, o concelho de Sousel possui uma biblioteca, inaugurada a 19 de Setembro de 1992.



Gastronomia

      A açorda alentejana, os miolos com espargos, as beldroegas com queijo, a sopa de tomate, as migas gatas e o ensopado de borrego constituem os principais pratos da gastronomia concelhia.

                                                                                                          Coelho com salsa
Coelho com SalsaAzevias
Azevias 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário